• Taiara Desirée

CONSTRUINDO COMUNIDADE E ABRAÇANDO A DIVERSIDADE - GEDS SOCIAL

Atualizado: 5 de Ago de 2019

Reflexão dos estudos do Módulo 1 da Dimensão Social do Curso Design Para Sustentabilidade do Gaia Education, que aborda o tema 'Construindo comunidade e abraçando a diversidade'.



São tantos pensamentos diante desse frutífero estudo que confesso ser um desafio

concatenar as ideias numa clara, simples e inspiradora redação. Minha visão empática e

coletiva ganhou um novo status e tenho plena convicção de que não será o mesmo ao final

desta Dimensão.


Aprofundar-me nos principais elementos de um design social me serviu tanto como fonte de inspiração pessoal como combustível para ampliar os propósitos dos meus atuais e futuros

projetos de vida, que têm como objetivo maior proporcionar transformações pelo bem-estar de todas as espécies que habitam a Gaia conosco.


Acredito que o segredo para uma harmônica e salutar convivência em comunidade e/ou

sociedade, está em sermos empáticos e compassivos uns com os outros, tratando cada ser

(humano ou não) como ELE gostaria de ser tratado e não como nós gostaríamos, vejo o

respeito como base fundamental de toda relação. A leitura desse módulo me fez refletir sobre essas questões e, principalmente, sobre o espírito cooperativo, pois como foi enfatizado

“precisamos reinventar, de maneira consciente, jeitos colaborativos e harmoniosos para vivermos e trabalharmos juntos”.

Nesse contexto, recordei-me de um Documentário que muito me marcou. “I AM” conta a

história de Tom Shadyac, um diretor de sucesso em Hollywood, que após um acidente que lhe causou um perigoso ferimento na cabeça, experimenta uma jornada para tentar descobrir e responder duas questões básicas que devemos nos fazer a todo momento: “O que está errado no mundo?” e “O que podemos fazer sobre isso?”


O filme expande a nossa mente para problemas essenciais e nos mostra que a solução para

os dilemas do mundo está bem à nossa frente o tempo todo – COOPERAR. Ajuda-nos a

reposicionar o sentido de vida e nos faz refletir se esse sentido é mesmo competir ou

cooperar; mostrando-nos, de maneira inspiradora, a necessidade de ‘abraçar a diversidade’

para construir uma humanidade capaz de prosperar.


Desde então, venho renovando minhas sementes de pensamentos sobre essas questões

sinergéticas e incorporando-as em meus projetos, que embora, inicialmente, não tenham a

finalidade específica de criar uma ‘comunidade intencional’, mas têm a grande missão de

sensibilizar o ser humano, considerado este como uma ‘partícula’ tão importante em qualquer

comunidade, vez que as escolhas e atitudes pessoais inevitavelmente se relacionam com o

todo, colorindo o campo de grupo.



Sendo assim, neste momento, o meu grande desafio é transmitir de maneira eficaz os

pensamentos de ‘comum+unidade’ para todos que chegam às mensagens do meu trabalho,

de modo que as escolhas de cada indivíduo possam ser sensibilizadas pela visão da

sustentabilidade e do respeito, para construirmos uma realidade dinâmica, viva e em

constante evolução.


Nos estudos desse módulo, alguns pontos me chamaram bastante atenção, entre eles o

trabalho de bordas, o campo do grupo, o modo de abraçar a diversidade, a maneira de

enxergar as vulnerabilidades como instrumentos de conexão e empatia, e especialmente a

didática sobre como encontrar e compartilhar a ‘visão’, que se apresenta por meio de um

conceito me tocou profundamente.


Todas as nossas escolhas diárias, por mais simples que sejam, têm um grande impacto

econômico e ambiental que em muito ultrapassam as esferas individual e familiar. Então

busco, através da comunicação e do exemplo pessoal, sensibilizar seres humanos a pensar

sobre os impactos das suas escolhas e ações, para que através de pequenas mudanças

possamos contribuir para o bem-estar comum.


Com escolhas conscientes e respeitosas vivemos de um jeito colaborativo, agindo localmente, mas pensando globalmente. No Design Pessoal, que é um dos meus projetos que me fez buscar o Design Para Sustentabilidade, age-se no “eu”, mas em conexão com o todo. É o agir na sua imagem, com ética e responsabilidade, construindo um design pessoal que reflete uma visão de mundo harmônica, compassiva e sustentável.


Destacou-se ao longo do módulo que:

“com indivíduos empoderados, podemos construir pontes de bem-estar e vivenciar o poder transformador da ação coletiva construtiva”.

O design é o “primeiro sinal da intenção humana” (William McDonough), e é assim que vejo o

Design Pessoal, como um reflexo da visão interna do indivíduo, que pode expressar suas

belezas - verdades e vulnerabilidades - de maneira consciente e espirituosa. O modo como

nós criamos o design de nossa visão, missão e objetivos na vida é um aspecto crucial para o

processo de harmonia nos relacionamentos.


Gosto do trecho que diz que:


“devemos ter em mente que a visão é sempre uma resposta ao presente, uma expressão do que queremos criar, de como queremos moldar nossa realidade e assumir responsabilidade pelo futuro que está surgindo [...] o processo de visão coletiva está focado na intenção e trata-se de um processo contínuo, que nunca será finalizado totalmente”.


Esse conceito é muito semelhante ao do processo do Design Pessoal, que tem como um dos

seus fundamentos a arte-ciência do Visagismo Philip Hallawell, em que o profissional visagista

precisa dominar os princípios da harmonia e estética e saber expressar uma intenção

visualmente, partindo da pergunta: “O que você deseja expressar através da sua imagem?”.


Estimula-se a reflexão e um processo de autoconhecimento que permitirá o indivíduo

encontrar uma intenção, que será transformada numa imagem com harmonia e estética, e não meramente intuitiva. Mas além disso, acredito que a nossa imagem é também reflexo das

nossas escolhas e ações que, por sua vez, devem ser éticas e sustentáveis.


Fazendo analogia, creio que a “visão” do indivíduo deve ser clara, simples e inspiradora,

assim como a visão de uma comunidade, pois, “a forma mais eficaz de mudar o mundo é

mudar a nós mesmos". É nisso que venho me empenhando tanto pessoalmente quanto

através dos meus trabalhos (Bloguesia e Design Pessoal) que, embora não sejam uma

comunidade intencional, têm a grande missão de sensibilizar seres humanos e, assim,

colaborar para o processo de transformação da grande ‘comunidade’ a que pertencemos.


Então uma das atitudes que pretendo adotar de imediato, é adicionar os princípios de

comunidade aos meus projetos em andamento, a fim de fortalecer a mensagem sobre a importância de “redescobrir a beleza, a natureza compassiva e o poder inato dos seres humanos”, de modo que a vida dos que estejam ao alcance das minhas mensagens, se torne mais coerente e inspiradora, pois acredito que:

“podemos escolher, de maneira consciente e intencional, relacionamentos pacíficos e produtivos, ao invés de deixarmos nossas relações aos caprichos do acaso”.

Também não posso deixar de destacar que este estudo me permitiu enxergar com um olhar

mais sensível e ‘comunitário’ outro projeto que tenho guardado há quase uma década e que

pretendo concretizar em um futuro próximo. Trata-se de um espaço coworking onde aplicarei

os ‘valores’ de formação de uma comunidade intencional numa estrutura sustentável e

inovadora, com a finalidade de trazer às empresas e consumidores esse espírito sinergético,

transformando as relações de ‘consumo’ em honestas e verdadeiras experiências de

aprendizados.


Por fim, sigo acreditando que criar um Design Pessoal (que é a menor partícula do Design

Social), deve partir da valorização da beleza interior com suas vulnerabilidades, do respeito à

todas as formas de vida com suas respectivas diversidades, do viver em harmonia com a

natureza e o espírito, acreditando em suas qualidades únicas, desenvolvendo o seu potencial,

adquirindo conhecimentos e habilidades, realizando autoavaliações, expressando suas

necessidades e praticando escolhas conscientes, por um mundo mais justo num belo contexto de empatia e sustentabilidade.


Taiara Desirée


#designparasustentabilidade #dimensãosocial #designsocial #GaiaEducation #geds #construindocomunidade #abraçandoadiversidade #reflexão

15 visualizações

Apoie o Bloguesia

A missão do Bloguesia é levar informação confiável e relevante para ajudar e inspirar os leitores a compreender e buscar um estilo de vida mais saudável, harmônico e compassivo, respeitando a natureza e todos os seres que habitam a Terra conosco. São mais de 9 anos de pesquisas, estudos, posts, parcerias e publicações através de textos, fotos, artigos, vídeos e áudios produzidos de forma independente pela Taiara Desirée - e/ou selecionados por ela (no caso dos Colunistas). Taiara tem a comunicação como um propósito de vida, sendo imensamente grata a todos que fazem parte desta história. Uma Criativa Cultural e entusiasta, que carrega no coração uma enorme vontade de fazer muito mais. Ao doar para o Bloguesia, você colabora para a manutenção deste trabalho, ajudando a melhorá-lo e a trazer para o mundo cada vez mais conteúdo de valor.

Gratidão!

Bloguesia by Taiara Desirée

2019 POR TAIARA DESIRÉE - CNPJ 26.259.889/0001-10 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.