• Taiara Desirée

RAFA MELARA CONTA COMO A BUSCA PELO AUTOCONHECIMENTO LEVOU AO VEGANISMO

Rafaela Melara concedeu entrevista exclusiva para o Bloguesia, compartilhou sobre autocuidado, veganismo, seus projetos, espiritualidade, consumo consciente e estilo de vida.



A curitibana, Rafaela Melara, não só é publicitária e artista, mas é daquelas pessoas que usam o seu trabalho e dia a dia para praticar e espalhar o bem. Criativa e dinâmica, aos 32 anos, ela já tem vários projetos lançados e sempre algo novo para compartilhar. Em seu processo de despertar, ela descobriu o seu propósito de vida, que é usar o seu dom e talento com artes e comunicação para levar informação sobre veganismo e mostrar um caminho de despertar da consciência a seus seguidores, que crescem a cada dia.


Se você busca um estilo de vida mais saudável, divertido e ampliar sua consciência, então confere esse bate papo com nossa convidada especial, que nos contou um pouco sobre seus projetos, como a sua busca por autoconhecimento levou ao veganismo, suas experiências, hábitos sustentáveis, espiritualidade e muito mais. Lembrando que tem também a entrevista em áudio ao final do post.



BATE PAPO


TAIARA. Olá Rafa, obrigada por aceitar o convite e por sua presença aqui no Bloguesia, seja bem-vinda. Para iniciarmos nosso bate papo fala um pouco sobre você, seu estilo de vida e as coisas que mais lhe motivam...


RAFA: Oi Tai, primeiramente, eu queria te agradecer o convite de participar dessa entrevista. Fiquei muito feliz, para mostrar um pouco do meu trabalho para o pessoal, é legal esse compartilhar! Também vi que você entrevistou o Guilherme Fioravanti, que é meu amigo, é muito legal o pessoal conhecer essa galera que tá em prol de uma causa tão importante. Bom, falando um pouquinho de mim, sobre o meu estilo de vida e o que me motiva. É difícil quando as pessoas me perguntam: O que você faz? Qual a sua profissão? Eu não consigo dizer porque eu faço muita coisa (risos), mas eu sou formada em Publicidade, e já tive trabalhos como cantora, apresentadora, produzo conteúdo para a internet também, e com 30 anos, numa das minhas meditações, eu entendi o meu propósito de vida, que é levar informação consciente para as pessoas através da arte, da minha criatividade, então eu acredito que eu ofereço um entretenimento consciente, sabe?! Com conteúdo que pode trazer uma mudança significativa na vida da pessoa, se ela se identificar com aquilo, claro! Então, na verdade, é isso que me motiva, usar minha criatividade para trazer informação para as pessoas e consciência, pode parecer um pouco arrogante (risos), mas acho que esse é o meu objeto, não sei se eu consigo, mas acredito que eu consigo influenciar algumas pessoas positivamente, por exemplo, no meu Instagram, eu percebo quantos feedbacks positivos eu recebo das pessoas dizendo “nossa, é muito legal vir aqui e consumir informação que mudou minha forma de ver as coisas”, “virei vegetariana por sua causa, porque eu vi que não era tão difícil”, então eu procuro desmistificar isso, sabe?! E eu deixo as pessoas à vontade, eu não trago isso como uma bandeira tipo: “Você tem que virar Vegano”. Eu trago de uma forma muito natural, assim como foi para mim!




TAIARA. Desde os 25 anos você começou uma busca pelo autoconhecimento e o despertar para o veganismo veio naturalmente. Conta para a gente como você se tornou de fato vegana, o porquê e qual a melhor parte que você acha dessa escolha de vida.


RAFA: Na verdade eu nunca pensei na minha vida que eu iria me tornar vegetariana ou vegana, porque nunca foi algo que foi apresentado para mim de alguma forma. A gente sabe né? A gente vive numa matriz dormindo... Quando eu despertei para o vegetarianismo eu percebi que eu estava dormindo durante 28 anos. Então, como foi para mim? Na verdade, eu comecei a minha busca por autoconhecimento, fazer meditação e tudo mais, e aí eu lembro que eu li uma frase do Osho em um dos livros dele, não me lembro exatamente qual, porque eu adoro Osho, então leio vários livros dele, mas eu lembro que a frase dizia assim: “A gente quer ser pleno, quer ser feliz, quer que o mundo evolua, mas a gente continua se alimentando de dor e sofrimento”, e aí eu entendi e aquilo virou minha chave, sabe?! Foi um processo um pouco egoísta porque quando eu parei de comer carne foi por causa do meu corpo físico e do meu espírito, porque eu acredito muito nisso de vibração, então eu estava me alimentando de uma vibração baixa de dor e sofrimento, mas aí, quando eu parei de comer carne, eu entendi que o buraco é muito mais embaixo, né? Que é uma questão ambiental, de crueldade com os bichos e, por último, eu. Então, primeiro tudo isso, depois essa parte mais egoísta, mas o meu processo inicial foi esse de querer parar de alimentar o meu corpo de dor e sofrimento. O que eu acho até interessante, porque Osho também fala que, se a gente quer mudar o mundo, a gente tem que começar pelo mundo mais próximo que é o nosso próprio mundo, então eu comecei por mim para depois espalhar essa mensagem para as pessoas. O que mais mudou para mim depois que eu virei vegana foi a empatia com certeza, até pelas pessoas, comecei a ter mais compaixão, mais empatia, o meu corpo mudou muito, meu metabolismo acelerou, só coisas maravilhosas. Muito amor pelos animais e pelas pessoas!


Antes de falar da melhor parte de eu ter me tornado vegana, é importante dizer que, para mim, foi um processo muito natural, eu parei de comer carne vermelha e frango, depois o peixe, depois o ovo, e depois o queijo. Eu nunca me privei, se eu tinha vontade eu ia lá e comia, foi muito natural e, por isso que hoje eu não passo vontade. Eu não tenho vontade de comer essas coisas, e eu acho que para cada um é um processo diferente, a gente precisa respeitar e é dessa forma que eu levo o meu trabalho, sempre respeitando as escolhas, mas mostrando: Olha, você pode optar, você tem como substituir, agora é com você, a escolha é sua e vai depender da sua consciência e tudo mais. Mas eu acredito que tem que ser um processo bem natural. E o melhor de ter me tornado vegana, foram as amizades que eu fiz, as pessoas que eu conheci e o meu despertar. Foi descobrir o meu propósito de vida, porque foi através do veganismo que eu descobri o meu propósito.


“A gente quer ser pleno, quer ser feliz, quer que o mundo evolua, mas a gente continua se alimentando de dor e sofrimento”.



TAIARA. Você sentiu alguma dificuldade na transição para o veganismo? Se sim, você tem algum conselho para deixar sobre isso e sobre o que você aprendeu com o tempo?


RAFA: Minha maior dificuldade eu acho que foi a que todo mundo tem né?! O primeiro contato com o vegetarianismo é tipo: “O que eu vou comer agora?”, “Como que eu vou substituir?”. E na verdade, a gente não precisa substituir nada, porque abre um leque tão gigante de tantas coisas que a gente pode comer. Eu nunca fui muito de verduras e legumes porque eu nunca coloquei a mão na massa para fazer, e quando eu fui fazer a minha própria comida eu descobri tantas coisas, eu virei a louca do rótulo (risos), eu olho tudo que tem nos ingredientes, comecei a prestar atenção de onde vem a comida que eu como, é um aprendizado muito bonito. Então, a minha dificuldade na verdade foi só essa no início, mas depois que você aprende que os vegetais têm muitos nutrientes e proteínas e que aquilo vai te suprir, enfim... Eu fui atrás de receitas veganas, tem muito vídeo no YouTube, Instagrams de receitas, Palestras, eventos, o VegFest para mim foi um universo de coisas que eu descobri, de marcas, enfim, é ir atrás. A gente tem muita informação na palma da mão hoje, é só querer, ir atrás e é muito fácil ser Vegano hoje, a gente tem muita opção no mercado.




TAIARA. Você é cantora, apresentadora e artista com uma vida bem dinâmica. Usa os seus trabalhos como um propósito de vida pela causa animal e um deles é o projeto Não Vim Ao Mundo A Passeio, a 1ª Web Série com Roteiros Veganos. Conta para os leitores a proposta dessa série e o que eles podem conhecer acompanhando esse seu trabalho.


RAFA: Não Vim ao Mundo a Passeio é um sonho realizado, porque esse projeto eu fiquei 2 anos pensando, namorando ele, querendo realizar, mas eu não tinha grana para colocar, e a gente sabe que para montar uma Web Série, viajar pelo Brasil, imagina, eu precisava de grana para fazer isso. E aí eu conversei com um conhecido meu de Balneário de Camboriú, que tem uma produtora, Diego Zeferino, e ele topou fazer comigo, porque ele também queria ter um projeto voluntário, vamos dizer assim, porque a Web Série para mim, a primeira temporada foi um trabalho totalmente voluntário, porque eu não lucrei com ele, mas a satisfação pessoal de realizar esse sonho foi incrível. Então a gente viajou, em 2019, todo mês para uma cidade do Brasil fazendo roteiros veganos indo para restaurantes, padarias, enfim, a gente passava três dias em cada cidade, mostrando também lojas que eram interessantes, sustentáveis, mostrando uma forma mais sustentável de viajar, em cada cidade a gente entrevistou pessoas, até pessoas famosas que estão nesse meio Vegano, e que deixaram uma mensagem para as pessoas nesses vídeos. Então foi muito legal, foi uma experiência incrível, rica demais, é um conteúdo muito legal, cheio de qualidade das pessoas que participaram, então eu aconselho quem quiser assistir, está lá no YouTube disponível. Tiveram marcas que patrocinaram, então cada episódio uma ou mais marcas patrocinaram. A gente pedia o valor só para pagar as despesas daquele episódio, a gente não saiu com nada de grana, mas foi muito satisfatório, foi incrível, e eu agradeço a cada marca que participou, ao Diego que se disponibilizou a viajar comigo sem receber nada, a gente sabe o quão trabalhoso é e o tanto de equipamento que a gente precisa para gravar um negócio com qualidade, depois tem a edição, dias editando, enfim, foi muito legal. Está disponível no YouTube, tem o Instagram também, agora tá parado por causa do COVID. A gente ia fazer a nossa primeira viagem de 2020 em março e, um dia antes da nossa viagem, estourou o Corona vírus e fechou tudo, então a gente não pôde ir e reagendou para o final de julho, mas a gente não sabe como vai ficar, então vamos esperar e ver como vai ser.




TAIARA. Você também fundou a Meu Pote Favorito. Como surgiu a ideia dessa empresa e como ela beneficia o público? Ah... e vocês entregam para todo o Brasil? =)


RAFA: Eu como criativa que sou, toda hora estou tendo uma ideia diferente e o Meu Pote Favorito surgiu também de um sonho, foi um sonho realizado. São receitas veganas prontas no pote, só que elas são secas, porque eu pensava assim... Quando eu ia fazer minhas receitas veganas, eu ia lá na loja de produtos naturais e comprava 10 gramas de não sei o quê, 20 gramas de farinha de grão de bico, 30 gramas de não sei o quê... aí eu pensei, “Cara, seria tão mais fácil se tivesse um negócio pronto que não precisasse ficar comprando de pouquinho e pouquinho porque senão estraga, como eu moro sozinha, né?!”. Geralmente Vegano é só um na família, que vai ter que fazer sua própria comida, então eu pensei, “Pô, é um negócio prático, a pessoa só mistura com água ou óleo vegetal e não precisa de mais nada em casa”. Então a proposta era essa de ter um produto prático, saboroso, Vegano, super nutritivo, balanceado em relação às proteínas e carboidratos, e a gente teve uma nutricionista vegana que ajudou a elaborar as receitas. É muito prático pra quem mora sozinho, pra quem vai viajar, porque as vezes você vai para um lugar e não conhece nenhum restaurante Vegano no lugar onde você vai. Enfim, tá tudo pronto no pote, só precisa misturar com água ou óleo vegetal. A gente tem receitas salgadas, que são risotos, farofa... a farofa é a campeã de vendas porque sério, vocês precisam experimentar porque é a melhor farofa da vida, a gente ia para feiras com os produtos e, quando as pessoas experimentavam a farofa, esgotava o estoque sempre. A gente tem as receitas doces também, brownie, bolo, mingau, enfim, tem o site lá para vocês, o Instagram e é muito legal, é mais um sonho realizado. Agora eu confesso que ele tá um pouco off, porque é muita coisa que eu estou fazendo ao mesmo tempo, mas ele tá lá, quem quiser comprar, está disponível, a gente só não tá colocando muito energia e super divulgando, porque como sou eu e minha irmã que montamos os potes, a gente não estava dando conta de tanta coisa, mas quem quiser comprar ele está lá disponível.




TAIARA. E não para por aí, você também tem um ateliê onde desenvolve peças de decoração. Que incrível!!! Conta mais sobre esse seu trabalho. Como é o processo criativo das peças, ele também tem uma pegada de veganismo?


RAFA: O meu ateliê surgiu antes de eu ser vegana, na verdade, ele surgiu quando eu comecei a minha busca por autoconhecimento. Foi ao mesmo tempo! Eu era gerente de Marketing de uma rede de loja de moda masculina e eu resolvi sair para abrir o ateliê, que também nunca foi algo que eu sonhei, porque eu nunca tinha imaginado que ia virar decoradora (risos), eu era publicitária. Então eu abri o ateliê porque eu gosto muito de trabalho manual, e eu comecei a criar almofadas desenhadas a mão, enfim, tudo o que as pessoas me pediam eu fazia – “Ah, eu preciso decorar o quarto do meu filho” – eu fazia toda a decoração, criava no computador e depois mandava produzir, fazia papeis de parede, tudo o que vocês podem imaginar, até capela para uma igreja eu já fiz em MDF toda a mão. Mas como isso foi antes do veganismo, a princípio, tinha o apelo de ser feito a mão, de ser produção local, nada importado da China. Depois, quando eu veganizei, eu trouxe as cerâmicas e comecei a fazer em parceria com minha prima cerâmicas com frases tipo “Aqui não tem dor, só amor”, “Vegan For Love”, “Comida de verdade sem crueldade”, então eu comecei a trazer coisas voltadas para o veganismo, também jogo americano com essas mesmas frases, enfim... É um projeto que eu estou vendendo só no atacado, então vendo para sites como Westwing e faço algumas grandes produções específicas para marcas e lojas, mas não estou mais vendendo no varejo porque é muita coisa. Então eu consigo fazer quando é uma grande produção, aí eu paro o que estou fazendo para focar naquilo. A gente já fez cerâmicas para alguns restaurantes e aceita encomendas em maior escala.



TAIARA. No seu Instagram você compartilha diariamente sobre o seu estilo de vida que envolve muito consumo consciente e como reduzir o impacto no planeta com atitudes simples. Além do veganismo, qual dica básica para o dia a dia você deixa para quem deseja uma vida mais sustentável?


RAFA: Depois que eu virei vegana eu comecei a entender o impacto que só a nossa vida, só como indivíduo, gera no planeta. O nosso lixo, o plástico que a gente usa, a água que a gente gasta, tudo, tudo o que a gente gera de impacto no universo, porque não existe jogar fora, não existe jogar no lixo, as coisas que a gente usa estão aí, e eu só despertei para isso depois que eu me tornei vegana. Então a dica que eu deixo para as pessoas é: Consumam de marcas que tem um propósito. Elas estão gerando um impacto negativo no planeta? Sim! Mas elas estão de alguma forma revertendo isso, tentando diminuir o impacto delas? Então procurem marcas que são mais sustentáveis, que zelam por isso, que têm o selinho do EuReciclo, que são veganas, que não são testadas em animais, tentem reduzir o número de plástico que vocês utilizam. Depois que eu virei vegana estou usando só sacola retornável para ir ao mercado ou caixas. Então o pouquinho que a gente faz no dia a dia, imagina se todo mundo fizesse um pouquinho? Nossa, ia gerar uma mudança significativa no planeta. Só que a gente fica pensando assim: “Ah, só eu? Só eu, não faz diferença!”. Cara, faz! Se todo mundo fizer um pouquinho já é muito. Então a dica que eu dou é essa. Consuma também de marcas locais para movimentar o comércio local principalmente agora nessa pandemia, as pequenas marcas vão acabar quebrando, então, se a gente puder consumir delas, dos restaurantes menores, enfim, consumam do local e de marcas sustentáveis.




TAIARA: Por fim, qual mensagem você gostaria de deixar para o mundo?


RAFA: Tem tanta coisa que eu queria falar, mas resumindo é – vamos olhar mais para o outro, ter compaixão com as pessoas, com os animais, com a vida que a gente tem, é um presente a gente está aqui nessa vida. Olhar para o nosso corpo com mais amor, como eu disse, para a gente mudar o mundo a gente tem que mudar o nosso próprio mundo. Então, começa por você! Do que você está se alimentando? O que você está colocando para dentro? Tentar manter uma energia, uma vibração alta para que as pessoas que estão ao seu lado também possam ser atingidas por isso, porque eu percebi muito isso, eu tive essa experiência real de que quando eu virei vegana, minha família veganizou sem eu precisar falar nada, só a energia do ambiente transforma. Então procurar cuidar do seu corpo e do seu espírito, porque aí sim você vai conseguir cuidar do outro, ter empatia pelo outro, então é isso que eu tenho de mensagem. Comece por você mesmo e depois você vai ver como as pessoas ao redor se transformam, não só em relação ao veganismo, mas em relação à espiritualidade. Depois que eu comecei a meditar e trazer esse estilo de vida para mim, eu comecei a perceber que as pessoas ao meu redor e que se aproximavam também eram pessoas com esse estilo de vida, pessoas mais plenas, com outra vibração, enfim... Se alimentem, não só falando de comida, mas se alimentem de músicas, de coisas boas. Eu acho que a gente tem que parar um pouco de ver jornal, televisão, eu não tenho televisão em casa, então não assisto nada que possa baixar minha vibração, claro que a gente precisa de informação e saber o que está acontecendo, mas tem um limite saudável. As músicas que a gente ouve, também é muito importante a gente saber que as músicas são vibração, elas vibram também numa frequência, quando a gente só ouve músicas que falam só de traição, de coisa ruim, isso influencia na tua vibração. Então alimentar o seu corpo, no geral, de coisas que tenham alta vibração, comidas que venham da terra, músicas que falem de coisas boas e de pessoas que também estejam nessa mesma vibração para que você possa ter essa troca interessante!

ESCUTE O BATE PAPO NO VÍDEO ABAIXO



E tem mais... Rafa idealizou e produziu uma paródia de Natal em dezembro de 2019, com referência a um comercial do Chester. Reuniu vários influenciadores veganos com forte alcance na internet e o vídeo já conta com mais de 10 mil visualizações só no YouTube e, no Instagram, ultrapassou 1 milhão de impressões devido à grande divulgação espontânea de seguidores e ativistas de grandes nomes no meio vegano. Dá o play no vídeo abaixo e confere que bacana.




Esse foi mais um bate papo tão gostoso de compartilhar aqui no Bloguesia. Quanta conexão e harmonia com os pensamentos e estilo de vida pude perceber que tenho com Rafa. É tão bom ver como o veganismo, a espiritualidade, o autocuidado, uma vida mais saudável, consciente e sustentável inspira e aproxima tanta gente.


Sinto-me feliz em vivenciar tudo isso e poder compartilhar com vocês aqui no Bloguesia um pouco do que venho aprendendo, das amizades que venho cultivando e dos bate papos com tanta gente especial.


Gratidão, Rafa, por dedicar o seu tempo para compartilhar conosco um pouco das suas experiências e conhecimento. Felicidade Genuína em sua vida!


Espero que tenham gostado e para quem deseja acompanhar os trabalhos da Rafa, é só acessar as redes sociais:

Rafa Melara - Instagram @rafamelara

Não Vim Ao Mundo A Passeio - Youtube - Instagram @naovimaomundoapasseio

Meu Pote Favorito - Instagram @meupotefavoritooficial



Um super beijo e até mais! Taiara Desirée

#entrevista #Bloguesia #interview #batepapo #rafamelara #naovimaomundoapasseio #meupotefavorito #vegan #veganismo #espiritualidade #sustentabilidade #estilodevida

29 visualizações

Apoie o Bloguesia

A missão do Bloguesia é levar informação confiável e relevante para ajudar e inspirar os leitores a compreender e buscar um estilo de vida mais saudável, harmônico e compassivo, respeitando a natureza e todos os seres que habitam a Terra conosco. São mais de 9 anos de pesquisas, estudos, posts, parcerias e publicações através de textos, fotos, artigos, vídeos e áudios produzidos de forma independente pela Taiara Desirée - e/ou selecionados por ela (no caso dos Colunistas). Taiara tem a comunicação como um propósito de vida, sendo imensamente grata a todos que fazem parte desta história. Uma Criativa Cultural e entusiasta, que carrega no coração uma enorme vontade de fazer muito mais. Ao doar para o Bloguesia, você colabora para a manutenção deste trabalho, ajudando a melhorá-lo e a trazer para o mundo cada vez mais conteúdo de valor.

Gratidão!

Bloguesia by Taiara Desirée

2019 POR TAIARA DESIRÉE - CNPJ 26.259.889/0001-10 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.